Você ainda não sabe, mas é um apreciador de arte

A escolha de uma obra se torna fácil quando ela mexe com você. Gosto é gosto!
Por Thabata Martin

Não tem mistério. Se você viu um quadro e se encantou, imaginou ele pendurado na parede do seu quarto ou combinando com os móveis da sala, é sinal de que encontrou a arte para aquilo que estava procurando. Parece fácil e a franqueada da Urban Arts de Curitiba garante que é. “Somos uma galeria de arte diferente, que reúne aproximadamente 6 mil artistas e mais de 60 mil artes”, apresenta Catherine Braska.

A galeria que representa artistas do Brasil e do mundo conta com uma equipe preparada para ajudar na escolha das artes para atender a expectativa e as especificidades de cada cliente. “Trabalhamos com artes abstratas e coloridas, assim como fotografias P&B. Nosso trabalho está muito mais ligado ao gosto do cliente do que a uma tendência”, afirma a empresária.

Malu Meyer

Malu Meyer, uma das diretoras da SOMA Galeria, destaca a importância de tornar a arte pública e acessível a qualquer pessoa. “O universo de pessoas interessadas em arte ainda é pequeno, mas quando essa vontade aparece elas vão até o Museu Oscar Niemeyer (MON), que tem entrada gratuita às quartas-feiras”, admite. O cartão postal de Curitiba tem registrado recordes de público e impulsionado o interesse pelo tema.

Segundo a galerista, os artistas que ajudam na democratização da arte também têm seus trabalhos expostos em painéis espalhados pela cidade. “A arte de rua é muito presente graças à contribuição de artistas como Rimon Guimarães e André Mendes”, destaca. “A proposta da SOMA, com foco na arte contemporânea, é mesclar os novos talentos com alguns nomes consagrados no mercado nacional, para que os colecionadores tenham a oportunidade de adquirir obras que irão valorizar daqui a alguns anos”, explica.

Inaugurada há cerca de um ano na Rua Brigadeiro Franco, no Batel Soho, o espaço de 400m² recebe exposições, ateliês, residentes, arte e educação. “Criamos um espaço de experimentações para receber artistas e outros agentes”, detalha.

Malu é a figura responsável por receber os clientes que demandam uma atenção diferenciada. “Eu mesma faço isso com muito prazer, pois estou de olho em todos os artistas nacionais que representam bom investimento”, acrescenta.

Quer investir em novos talentos, anote as dicas da especialista Malu Meyer, da SOMA Galeria:

1. Cheque o currículo do artista;
2. Pesquise as Mostras que ele participou e se foi indicado ou recebeu algum prêmio (Pipa e Marcantonio Vilaça são ótimas referências);
3. Busque saber em que museus os colecionadores adquiriram suas obras;
4. E, por fim, frequente galerias de arte, museus, feiras como a SP-Arte, Arte Rio e Feira Parte.

Recado importante para quem pretende mergulhar neste universo sem volta. “Geralmente, o que está na moda em decoração não é o que vai valorizar no futuro”, alerta Malu. No entanto, o mais importante de tudo é amar, estabelecer uma conexão com o que você pretende levar para sua vida. “A arte é subjetiva e depende muito do olhar. Ela tem que mexer com você, te dizer algo. Você vai olhar para a obra todos os dias”, reflete.

Ainda tem dúvidas de como organizar suas obras de arte?

“Pense em agrupar suas obras de acordo com seu material, por exemplo. Reúna as fotografias, desenho sobre papel ou gravuras. Apesar de ter compartilhado essa sugestão, admito que acho bonito mesmo é mesclar. Não há nada como uma parede branca preenchida com muitos quadros”, diverte-se Malu.